14 de dez de 2011

Revista Expectativa

Boa tarde alunos de Secretariado (da Unioeste e de outras instituições que estão sempre nos visitando) , Professores, profissionais de Secretariado Executivo e demais interessados. 

É com grande satisfação que anunciamos que a IX Edição da Revista Expectativa - mantida e organizada pelo curso de Secretariado Executivo da Unioeste - já está disponível

Apresentando resultados de trabalhos desenvolvidos e apresentados no I Encontro Nacional Acadêmico de Secretariado Executivvo - I ENASEC -, a revista está super completa e trás ótimas contribuições para as produções científicas em SE e para o saber científico como um todo.

Enfim, vale a pena conferir essa edição, que está disponível online no site da Revista Expectativa, ou clicando aqui.

Aproveitem a leitura.



25 de out de 2011

Alguns relatos sobre o II Enasec - Realizado na Universidade de Passo Fundo



O evento
Nos dias 20, 21 e 22 de outubro aconteceu a segunda edição do ENASEC – ENCONTRO NACIONAL ACADÊMICO DE SECRETARIADO EXECUTIVO, nas dependências da Universidade de Passo Fundo (UPF), na cidade de Passo Fundo – RS. O evento teve como principal objetivo promover o debate acerca da pesquisa e da evolução da profissão de Secretariado Executivo.
Alunos e professores do curso de Secretariado Executivo da Unioeste - Campus Toledo estiveram presentes no evento. Também foram junto com nossa caravana os egressos do nosso curso: Clarice Theobald Sthal e Ricardo Roman, mostrando que somamos quando estamos unidos a profissionais, pesquisadores, acadêmicos e egressos.

SBSEC - Sociedade Brasileira de Secretariado
Um momento histórico para o Secretariado Executivo foi fruto do ENASEC, que na sua primeira edição, que aconteceu em Toledo/PR, teve entre os participantes docentes e pesquisadores, a discussão iniciada e consolidada por uma equipe que organizou e socializou a discussão do estatuto da Sociedade que seria criada. No 2º ENASEC, novamente pesquisadores e docentes de todas as regiões do país, discutiram, amadureceram a proposta e aprovaram a criação da SBSEC, que pretende envolver todos os profissionais que se dediquem ao Secretariado, fortalecendo a pesquisa científica na área.
O Estatuto foi aprovado e assinado por todos os presentes na reunião, que também elegeu a primeira diretoria para a SBSEC, de caráter provisório, para o período de 1 ano, que terá como missão providenciar a formalização legal da Sociedade e organizar as formas de inscrição de membros, possibilitando ainda a primeira assembléia geral dentro do próximo ano para, entre outros assuntos, eleger a nova diretoria.
A Diretoria atual será dirigida pelo seu presidente, professor Erivaldo P. do Nascimento (UFPB) e como vice-presidente a professora Carla Maria Schmidt (UNIOESTE/Campus de Toledo), tendo entre os membros outros professores de instituições brasileiras.Em breve novas notícias sobre a sociedade, com a lista completa de seus membros, serão postadas em todos os veículos relacionados com Secretariado Executivo.
Parabéns ao professor Erivaldo e a professora Carla pela direção da SBSEC, e também à professora Patricia Stafusa Sala Batistti que faz parte do Conselho Fiscal desta Sociedade.

Palestra de abertura
A palestra de abertura do evento foi proferida pela Coordenadora do curso de Secretariado Executivo da Unioeste – Campus Toledo, Fabiana Regina Veloso Bíscoli, abordando a temática: “A pesquisa na evolução da profissão de Secretariado Executivo”.

Artigo premiado
O artigo escrito pelas professoras Carla Maria Scmidt e Ivanete Daga Cielo, juntamente com a egressa do curso Fernanda Cristina Sanches, intitulado “MAPEAMENTO DAS RELAÇÕES ENTRE UNIVERSIDADES E DOCENTES: UM ESTUDO DE REDES EM CURSOS DE SECRETARIADO EXECUTIVO”, foi premiado em 1º lugar dentre os artigos inscritos no evento.

Agradecimentos
A Coordenação do Curso de Secretariado Executivo da Unioeste - Campus Toledo, parabeniza as professoras Carla e Ivanete e a egressa Fernanda por  mais essa conquista. Agradecemos também aos acadêmicos, egressos e professores e ao Centro Acadêmico do curso que participaram do evento pelo envolvimento e interesse em contribuir para o desenvolvimento da profissão de Secretariado Executivo. Parabenizamos também aos autores dos trabalhos aceitos, apresentados e publicados na ocasião. Ao CASEC - Centro Acadêmico agradecemos pelo estímulo e pela excelente organização da viagem. Aos acadêmicos parabéns pela postura e pelo companheirismo durante toda a viagem.

3º ENASEC
Durante a reunião realizada no dia 21/10/2011, definiu-se que através da parceria UFPE e UFPB, será realiado o 3º ENASEC na cidade de João Pessoa na Paraíba. Esperamos contagiar nossos acadêmicos, professores e egressos para que se envolvam cada vez mais com a pesquisa e com a participação de eventos. Assim certamente chegaremos mais rapidamente à evolução da profissão.

Comentário sobre o evento:
A coordenação do curso recebeu uma mensagem da professora Patricia Stafusa Sala Batistti, que expressa o sentimento de todos os participantes do nosso curso no 2º ENASEC. Com sua autorização clocamos o comentário na íntegra:

Estava pensando quando que a vida é boa e de repente me dei conta que a vida é boa QUANDO: - a gente viaja com gente agradável (alunos, professores, egressos (Ricardo, Clarice e Fabíola) e simpatizantes (mãe da Laura))- tem um CA competente organizando tudo e a gente não se preocupa com nada- o Maycon faz a contagem do ônibus e todo mundo está lá- a gente chega são e salvo da viagem- o Marcos e seu grupo cantam (repertório de 999.999 músicas)- a Clarice e a Carla dão aquela gargalhada gostosa- o café da manhã é bom- a companheira de quarto é 10 em todos os sentidos. Vou sentir saudades prof. Vania- podemos assistir a manifestações culturais tão bacanas: o Coral da UPF e a Dança Gauchesca- o professor Marcio encontra uma pizzaria no meio do nada quando todo mundo estava desmaiando de fome- participamos de um momento histórico na nossa área: Foi fundada a Sociedade Brasileira de Secretariado (SBSEC) e a nossa Prof. Carla é a vice-presidenta. Ela é vice é do prof. Dr. Erivaldo da UFPB (bolsista de produtividade do CNPq)-a Unioeste é citada como referência pelas outras universidades-nossa Coordenadora Fabiana faz a abertura do Evento, enchendo de orgulho nossos alunos ali presentes. Falando em orgulho, a Unioeste é premiada com o MELHOR artigo do Evento. PARABÉNS AS AUTORAS: CARLA, IVANETE e FERNANDA! Enfim, a gente é feliz quando é respeitado, reconhecido e vê a vida com olhos positivos. Assim, com perspectiva positiva vamos ocupar muitos lugares no vôo para João Pessoa-PB em 2013 - sede do 3º Enasec. 
Prof. Patrícia

23 de out de 2011

Extensão: Secretariado Executivo - Preparando para o primeiro emprego.

Fonte: Secretariado Executivo Unioeste.


--

Início do projeto:
O curso de Secretariado Executivo da Unioeste, Campus Toledo, iniciou semana passada (24/09) o projeto de extensão que beneficia duas entidades carentes do município. O projeto é intitulado “Secretariado Executivo – Preparando para o 1º Emprego” e atinge crianças de 14 a 17 anos das entidades Casa de Maria e Dorcas (unidade da Vila Pioneira). Grande parte dos jovens que residem nestas localidades é procedente de família de baixa renda e tem poucas oportunidades de se capacitar. 

Oficinas:
O projeto consiste na aplicação de um curso com oito oficinas ministradas aos sábados, pelos participantes do projeto (23 acadêmicos e 4 professores do curso de Secretariado Executivo). Os temas das oficinas abordam: atendimento ao público, rotinas secretariais, entrevista e currículo, postura e ética profissional, redação empresarial, informática básica, matemática básica e funções administrativas. 

Objetivos do projeto:
O objetivo principal do projeto é a qualificação dos adolescentes que estão em busca da inserção no mercado de trabalho, além de possibilitar aos acadêmicos de Secretariado Executivo a experiência do contato com a sala de aula para preparar conteúdos e desenvolver a capacidade de atuar como instrutor, promovendo também a sua atuação em atividades de extensão e a sua percepção da realidade social.

Outro objetivo do projeto também é realizar uma pesquisa para investigar os critérios de seleção, identificando as maiores dificuldades que o empresário percebe por parte dos profissionais contratados para o primeiro emprego, sejam elas comportamentais ou habilidades para o desenvolvimento das rotinas de trabalho, com indicativos de conteúdos abordados na grade curricular do curso de graduação em Secretariado Executivo.
          
Informações:
Coordenação do curso de Secretariado Executivo:
Telefone: (45) 3379-7049





18 de out de 2011

Saiba as competências que as empresas esperam dos profissionais aos 20, 30 e 40


Flexibilidade, disciplina, energia, vontade de aprender estão entre as características mais valorizadas nos profissionais de 20 anos


--
Já é de domínio da maior parte das pessoas que, atualmente, as competências e o comportamento dos trabalhadores são mais importantes para as empresas do que os conhecimentos técnicos adquiridos.
Contudo, de acordo com a gerente técnica da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Pérola Lucente, as expectativas das empresas mudam conforme a idade do profissional. Assim, veja abaixo o que é esperado de quem tem 20, 30, ou mais de 40 anos.

Fonte da Imagem: Manager Online Empregos.

20 anos
Segundo Pérola, as empresas tendem a ser mais tolerantes com quem está iniciando a carreira, sobretudo no que diz respeito à ansiedade e impulsividade. Apesar disso, alerta, atitudes como falta de cordialidade e impaciência exacerbada não são bem vistas nas corporações.

Dentre os requisitos esperados destes jovens profissionais, a gerente destaca a flexibilidade, disciplina, energia, vontade de aprender, além da criatividade.
“Nesta fase, espera-se que o profissional saiba, por exemplo, trabalhar em equipe e que tenha boa formação, não só cultural, como educacional”, adverte.

30 anos
Quando o profissional chega na casa dos 30 anos, as empresas esperam que possam atuar no operacional, mas que também tenham equilíbrio e bom senso para a gestão.

Aqui, liderança, intermediação de conflitos, persuasão e iniciativa são características apreciadas, sendo que este é um bom momento para o profissional reforçar a formação acadêmica, cursando uma pós-graduação ou um MBA.
“A pessoa tem que saber dosar a pressão, visto que, provavelmente, ela estará ocupando cargos de média chefia. Além disso, é importante ter mais energia, responsabilidade, foco em resultado e equilíbrio”, explica Pérola.

40 anos
Por fim, dos profissionais com 40 anos ou mais, explica a especialista, as companhias esperam maior controle emocional, não havendo mais decisões por impulso, por exemplo.

Boa visão de negócios, de planejamento, liderança consolidada e desenvolvimento de pessoas são outros atributos desejados, sendo que aos 40 anos ou mais os profissionais não devem ser agressivos, nem autoritários.

“Um profissional maduro deve abandonar as questões operacionais e atuar de forma estratégica, funcionando como um porto seguro para a equipe”, finaliza Pérola.

30 de set de 2011

Dia do Profissional de Secretariado

Seja você técnico ou bacharel em Secretariado Executivo,  Secretário Executivo ou Assessor, Professor, Gerente, Gestor, Líder de Equipe, Consultor, Tradutor, Interprete, Profissional de Comunicação, Profissional de Eventos (essas são apenas algumas das funções que profissionais de secretariado exercem), o que importa é que hoje é o seu dia. Dia do Profissional de Secretariado.

Profissionais que dedicam horas de estudos e trabalho, que se dedicam à suas empresas, que buscam atualização constante, e que tentar manter a eficiência e eficácia em suas atividades. Assim podemos descrever os profissionais de secretariado. Alguém que não precisa ficar restrito à antiga 'fama' de secretário, mas que hoje atua de igual para igual com profissionais das mais variadas áreas.

Enfim, que este dia sirva para lembrar aos Profissionais de Secretariado que todos merecem parabenização pelo escolha da profissão e pela dedicação com que (espero) desempenham seus ofícios. 

Parabéns também aos acadêmicos de Secretariado Executivo, da Unioeste e de outras instituições de ensino, pela escolha do curso. E que este curso abra muitas portas nas vidas profissionais de cada um.

Lembrando que não é o curso ou a instituição que faz o profissional se destacar em sua área, mas sim a dedicação, seriedade e competência com que o mesmo desenvolve suas funções.

Assim, só posso lhes desejar parabéns pela profissão e carreira e desejar muito Sucesso à todos.


22 de set de 2011

Venha conhecer a Unioeste, Campus de Toledo

Biblioteca do Campus de Toledo

Até o próximo dia 23 a comunidade externa, em especial os estudantes do ensino médio da região Oeste do Paraná, terá oportunidade de manter contato direto com as diversas áreas do saber abrangidas pelos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

O evento, desenvolvido no Campus de Toledo por meio do Projeto Conhecendo a Unioeste, oferece o repasse de informações sobre a infraestrutura dos cursos, os currículos, as áreas de atuações profissionais, os projetos de pesquisa e extensão desenvolvidos pela Instituição, os campos de estágios disponíveis e as possibilidades de desfrutar de bolsas de estudos, monitorias ou de estágios remuneradas durante o curso.


Objetivos


De acordo com os organizadores, o Projeto Conhecendo a Universidade se reveste de importância ao promover a integração da comunidade universitária na divulgação dos cursos que a Instituição oferece, trazendo oportunidades para os estudantes do ensino médio frequentarem o espaço universitário, conhecendo suas atividades científicas, de ensino e extensão, caracterizando sua relevância social, tratando-se de universidade pública, gratuita e de qualidade que busca proporcionar a educação superior como direito social.


O Projeto tem entre seus principais objetivos dar visibilidade às atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas na Unioeste/Campus de Toledo, promover a integração da comunidade acadêmica com a comunidade externa, bem como atrair os estudantes do ensino médio e demais membros da comunidade externa para conhecer ambiente universitário público e de qualidade, possibilitando aos estudantes do ensino médio informações sobre os cursos de graduação da Unioeste/Campus de Toledo;


Ampliar a participação de candidatos no Concurso Vestibular da Unioeste, contribuindo para que os estudantes façam sua escolha frente aos cursos oferecidos no vestibular, assim como integrar a comunidade acadêmica, professores, agentes universitários e estudantes, com o propósito de promover a Instituição são outras metas buscadas pelos coordenadores do evento.


Atividades


A visitação dos estudantes ao Campus de Toledo da Unioeste conta com o apoio do Núcleo Regional de Educação de Toledo. Iniciado na manhã desta segunda-feira, dia 19, serão cinco dias com atividades programadas para os três turnos, o que deve possibilitar ampla participação dos estudantes, pois na região existem turmas de ensino médio matutinas, vespertinas e noturnas.


Com estas informações, os futuros candidatos ao Concurso Vestibular 2012 poderão escolher seus cursos a partir de decisões pautadas nas peculiaridades profissionais de cada um. Participam desta atividade os colégios dos municípios de Toledo, São José das Palmeiras, São Pedro do Iguaçu, Ouro Verde do Oeste e Diamante do Oeste. O Campus de Toledo oferece os seguintes cursos: Filosofia, Ciências Sociais; Economia, Serviço Social, Secretariado Bilíngue; Engenharia de Pesca, Engenharia Química e Química.



Programação


19/09/2011 – Segunda-feira

Manhã:
08:00 – 09:00 Abertura Oficial
09:00 – 10:00 Visita às tendas dos cursos com informações sobre as atividades de ensino, pesquisa e extensão.
10:00 – 11:00 Visitas às instalações da Universidade e dos cursos


Tarde:

13:30 – 15:00 Visita às tendas dos cursos com informações sobre as atividades de ensino, pesquisa e extensão.
15:00 – 16:30 Visitas às instalações da Universidade e dos cursos

Noite:

19:30 – 21:00 Visita às tendas dos cursos com informações sobre as atividades de ensino, pesquisa e extensão.
20:00 – 22:00 Visitas às instalações da Universidade e dos cursos


20 A 23/09/2011 – Terça a sexta-feira

Manhã:
08:00 – 09:30 Visita às tendas dos cursos com informações sobre as atividades de ensino, pesquisa e extensão.
09:30 – 11:00 Visitas às instalações da Universidade e dos cursos


Tarde:

13:30 – 15:00 Visita às tendas dos cursos com informações sobre as atividades de ensino, pesquisa e extensão.
15:00 – 16:30 Visitas às instalações da Universidade e dos cursos

Noite:

19:30 – 21:00 Visita às tendas dos cursos com informações sobre as atividades de ensino, pesquisa e extensão.
20:00 – 22:00 Visitas às instalações da Universidade e dos cursos


Fonte: Assessoria de Comunicação Social

6 de set de 2011

5 Estrelas

Posto hoje à vocês a notícia de que o curso de Secretariado Executivo da Unioeste  - Campus de Toledo recebeu [mais uma vez] o título de Curso 5 Estrelas. A avaliação/premiação é realizada pelo Guia do Estudante, publicação da Editora Abril que avalia os cursos de graduação do Brasil.

Essa não é a primeira vez que o curso recebe esse título, já tendo acumulado outros selos de Curso 5 Estrelas entregues pelo Guia do Estudante.

E aqui ficam os meus parabéns à coordenação do curso, neste momento representada pela professora Fabiana Regina V Bíscoli, que está sempre presente e buscando contribuir para a melhoria contínua da qualidade no ensino oferecido pelo curso. Ficam também meus parabéns aos acadêmicos do curso que conseguem levar à serio tanto o curso como a profissão e garantem títulos como esse, mostrando à sociedade que o Curso de Secretariado Executivo da Unioeste de Toledo está formando profissionais aptos a enfrentar os desafios do mercado de trabalho.

Enfim, este selo só vem reafirmar para nós que conhecemos o curso a qualidade do mesmo. E para quem ainda não conhece, vale a pena conferir... E eu [Rodrigo Müller], como egresso do curso de Secretariado Executivo sinto muito orgulho de ter me formado na Unioeste e hoje estar divulgando nosso curso e nossa profissão nos lugares por onde ando.

Um abraço à todos e cada vez mais Sucesso !!!

5 de set de 2011

O que não se deve falar no trabalho


 
A palavra é prata, o silêncio é ouro”, não é à toa que o provérbio chinês nunca deixa de ser citado. No ambiente de trabalho, por exemplo, tudo o que você pensa deve ser repensado antes de ser pronunciado.

Para construir a credibilidade, você traça um caminho longo de ideias e resultados, mas, para destruir todo este legado, basta falar uma frase de mau gosto e deixar que ela se propague pelos departamentos da empresa. O site AreaH consultou especialistas em recursos humanos e separou dez dicas sobre o que não falar no ambiente de trabalho. Anote!

1. "Eu não preciso do dinheiro" ou "eu não trabalho por dinheiro"


Cuidado com esse tipo de colocação. Pode até ser que você tenha uma boa situação financeira, que seus pais ajudem você no complemento da renda, mas não é de bom tom afirmar isso, até porque você nunca vai ser o primeiro a ser lembrado na lista do chefe para ter um aumento, e, mesmo quem não precisa de dinheiro, gosta de dinheiro.

2. Não faça ameaças
“Se não for dessa forma, eu vou pedir demissão”. As ameaças representam um sinal de fraqueza. Se você tem um problema, tente resolvê-lo da forma mais adulta possível, coloque a situação que te incomoda para seu superior e não se comporte como um bebê chorão, que não gosta de ser contrariado.

3. “Que roupa é essa?”

O jeito que as pessoas se vestem não interfere na produtividade delas. Gosto não se discute. Se um colega de trabalho estiver mal vestido, não torne isso público, é ofensivo, humilhante e queima o filme, gerando desconforto e antipatia geral no escritório. Aprenda a guardas certas opiniões.

4. Nunca diga qualquer coisa em particular que você não diria publicamente


Gerentes e diretores discutem muitos assuntos a portas fechadas, isso é natural. Se você ainda não chegou a esta posição, lembre-se de não tornar público um comentário que você não faria na frente de todos. Opiniões negativas podem destruir sua imagem na empresa e deixar você taxado como fofoqueiro.

5. Não afirme que você está “in” com o chefe

Seu chefe pode gostar de você, mas negócios são negócios e a simpatia recíproca entre vocês dois nunca vai mudar a máxima do mundo corporativo. Antes de achar que você é bem quisto, desenvolva um bom trabalho, este é o caminho.

6. Não subestime a capacidade dos outros

Você é esperto, que bom, mas sempre vai existir alguém mais esperto que você. Não diminua a capacidade das pessoas que trabalham com você. Se eles são bons ou não no que fazem é o gestor que deve analisar, não você.

7. Não faça leilão


Quando você diz ao chefe: “Recebi uma proposta para ganhar mais”, isso deve ser verdade. Não invente esse tipo de argumento para tentar um aumento. Fazer leilão mostra que você só está interessado no dinheiro e nem sempre no trabalho oferecido.

8. Não se proponha a fazer o que não sabe


Você quer, a todo custo, ser um cara mais importante na empresa em que trabalha e para isso se oferece para fazer uma tarefa que não domina. O caminho é, antes de tomar uma responsabilidade para si, dominar o assunto, do contrário, fique na sua para não destruir sua credibilidade.

9. Não comente sobre as mulheres do escritório


Antes de falar sobre as mulheres que trabalham na mesma empresa que você, principalmente se você for funcionário novo, certifique-se que ela é livre. Imagine se a mulher que você está elogiando loucamente for namorada de alguém do mesmo departamento que o seu ou outro qualquer. Também evite fazer fofoca sobre romances do escritório, exemplo: “Sicrano já pegou a Beltrana”. É extremamente deselegante.

10. Não levante a bandeira do outro


Você é um cara valente e adora comprar uma briga, ou melhor, qualquer briga. Esfrie a cabeça e não arrume encrenca no trabalho por conta das reclamações de outras pessoas. Fazer motim é absolutamente prejudicial para sua imagem com os gestores, e brigar não é o caminho, conversar antes é sempre melhor.
 
Contribuição de Anderson Ribeiro, Secretário Executivo

acine - Twitter: @andersongracine

8 de ago de 2011

Os Alunos Bonzinhos'



Por Içami Tiba

--
Houve um tempo, há algumas décadas, que o comportamento do aluno era tão avaliado quanto o seu aprendizado. Se um aluno estivesse quieto, calado, não se mexesse muito, não perturbasse em nada a aula, nem sequer perguntasse uma dúvida que tivesse, pronto: nota máxima em comportamento.  Por esta nota os pais, que tinham que assinar o boletim, sabiam se o seu filho fez bagunça ou não na sala de aula.

Assim, quem estivesse tímido, com graves problemas psicológicos como isolamento, mutismo, séria dificuldade de relacionamento, considerável baixa na auto-estima a ponto de julgar-se incompetente para participar da aula etc. poderia receber uma boa nota de comportamento.

Era a época em que reinava o ensino autoritário, quando as regras escolares estavam acima de qualquer aluno, o dever estava muito distante do prazer, do lúdico, da alegria de viver. É deste período que os professores cometiam atos hoje considerados abusos de poder e até mesmo de bullying, como taxar o aluno de burro, fazer o aluno “ajoelhar no milho” etc.

Felizmente estas avaliações de comportamento acabaram, o ensino humanizou e o aluno adquiriu seus direitos de manifestação.

Como toda água que se represa, quando se solta inunda descontroladamente tudo por onde passa, e não irriga somente o que precisa; o comportamento dos alunos também “detonou” com tudo o que encontrou pela frente como liberdade de expressão, limites, regras e educação.

Os alunos ficaram como que viciados pela agitação e vontades próprias. Quando não fazem o que querem e não se agitam, começam a sofrer um tipo de abstinência ficando irritados, aborrecidos, desrespeitosos, agressivos, tumultuadores etc.

Hoje até parece que os alunos que desejam aprender estão na contra mão da maioria, assim como comportar-se em aula sem incomodar outras pessoas e até mesmo praticar a educação mais adequada e saudável .

O que seria esperado de um aluno para ser considerado adequado é a educação relacional, com as palavras mágicas: com licença, desculpe, por favor, obrigado.

Uma sala de aula seria muito melhor se os alunos fossem mais educados - principalmente na civilidade.  Ninguém no mundo gostaria de conviver com pessoas mal educadas, muito menos professores que precisam despertar nos alunos uma vontade de estudar, quando eles só gostariam de fazer o que quisessem, avessos às obrigações e responsabilidades que são.

Mas esses mesmos alunos mal educados tornam-se altamente estimulados e cheios de vontades de aprender quando os assuntos lhes interessam, surpreendendo até quem deles nada espera.

Portanto o segredo para se conseguir o interesse dos alunos e assim um “aluno bonzinho” é o professor: primeiro ouvir quais os interesses mais comuns que eles manifestam e, segundo: incluir a sua matéria neles ou o inverso, ilustrar ou embasar as aulas com os interesses deles. Sabendo que a paciência deles é cada vez mais facilmente esgotável, o professor deve alimentá-la fornecendo feedbacks a cada intervenção que o aluno fizer. Assim as manifestações dos alunos deixam de ser intrusivas e passam a pertencer ao relacionamento professor-aluno.  

Exigir dos pais que os alunos já cheguem educados à Escola é bem pior e mais difícil de obter resultados positivos do que transformá-los em parceiros da educação dos filhos deles.

6 de jul de 2011

As tendências tecnológicas que vão guiar o marketing nos próximos anos

FONTE: EXAME

--

Estudo da Razorfish destacou insights que aproximarão as marcas dos consumidores


São Paulo - A agência Razorfish anuncia insights sobre cinco tecnologias relacionadas ao futuro digital, que estarão presentes em todos os pontos de contato com os consumidores nos próximos anos.

“O estudo tem o objetivo de indicar caminhos para o marketing em um cenário de rápidas transformações, oferecendo às empresas um guia completo para atender às expectativas de um mercado em evolução", afirma Jose Martinez, managing director da Razorfish para a América Latina.

1 Near Field Communication (NFC)
Entre as tendências apresentadas pelo Razorfish5 está a Near Field Communication (NFC), que facilita os pagamentos utilizando tecnologia móvel e que hoje é predominante no Japão e em outros países emergentes.

Apesar de disponível há anos, a NFC atingiu o seu ponto de inflexão em 2011, com o Android e a Apple adotando a tecnologia em seus aparelhos. Além de facilitar pagamentos, essa tecnologia, por meio do Bluetooth, permite que as empresas enviem mensagens para o consumidor quando ele estiver próximo de estabelecimentos comerciais que oferecem seus produtos ou serviços.
A NFC tem potencial para adicionar bilhões de dólares à receita publicitária. O aumento deve vir a partir do número crescente de usuários móveis e do tempo que passam com seus telefones celulares.

Há mais de cinco bilhões de telefones celulares no mundo, número quatro vezes superior ao de TVs. “O celular está sempre com o consumidor, criando a possibilidade de impactá-lo com conteúdos relevantes no momento em que ele está mais receptivo à mensagem”, acrescenta Martinez.
2 Revolução da Interface
A Revolução da Interface decreta o final da hegemonia do mouse na navegação. Os consumidores já iniciaram uma migração em massa para interfaces que estejam mais próximas da experiência humana natural (Natural Human Interface - NUI), adquirindo dispositivos de condução de experiências NUI como Smartphones, tablets – principalmente o iPAD da Apple – consoles de videogame como o Microsoft Kinect, Nintendo Wii e Playstation Move, entre outros.
“As marcas deverão se adaptar e oferecer mais conteúdo interativo, em multiplataformas e multicanais”, observa Martinez. Essas tecnologias deverão ser aplicadas às ações de marketing e de relacionamento com o consumidor, tornando o contato mais amigável e atraente.

3 APIs abertas e serviços digitais
As APIs abertas (Interface de Programação de Aplicações) e os Serviços Digitais são apontadas no estudo como uma enorme oportunidade para a verdadeira inovação.

Essas tecnologias permitem que o consumidor participe e influencie as definições de produtos das empresas por meio digital. O nível de colaboração pode variar de acordo com o perfil da empresa e do consumidor, permitindo maior ou menor participação e integração nessas definições. 
Facebook, Google e Twitter foram construídos, em grande parte, por suas comunidades de usuários. “Isto comprova que não há maneira melhor de engajar a audiência do que permitir que ela opine e participe no desenvolvimento de um determinado produto ou serviço”, afirma Brian Crotty, managing director da Razorfish no Brasil. Outras empresas que adotaram as plataformas abertas foram a Amazon, a Best Buy e a Netflix.
4 Marketing na era dos grandes dados
Outra tendência indicada é o Marketing na Era dos Grandes Dados, que aponta para o grande volume de dados de consumidores teoricamente “disponíveis” na web.
Segundo Crotty, o grande problema consiste em transformar essas informações em conhecimentos práticos e ações efetivas. No entanto, com as novas ferramentas baseadas na computação em nuvem, as empresas podem finalmente traduzir trilhões de linhas de dados em uma conversa mais direcionada aos consumidores, com um ciclo de feedback quase imediato.
5 Computação em nuvem
Por fim, o Razorfish 5 destaca a Computação em Nuvem como tendência crucial. As empresas adotaram amplamente ao longo dos últimos anos esta tecnologia, que utiliza uma nova arquitetura que funciona como software, em vez dos frágeis sistemas físicos do passado.

Segundo o estudo, empresas que empregam essa tecnologia são capazes de conduzir o foco do negócio em um ritmo mais rápido, em vez de manter o dimensionamento na infraestrutura.

O desenvolvimento e implementação de estratégias de marketing de forma integrada a essas tecnologias, segundo o managing director da Razorfish Brasil, permitirá às empresas atuarem de forma inovadora e eficaz na comunicação com seus clientes.

O relatório completo pode ser visto no site da Razorfish5.

--
Texto Original: Exame.Abril 

28 de jun de 2011

Lançamento do Livro A Escola no Século XXI

Caros Leitores, 

É com prazer que anunciamos o lançamento do livro “A Escola no Século XXI”, o primeiro da série de quatro volumes, no dia 30 / 06 / 2011, às 19 horas, no auditório do Setor de Ciências Sociais Aplicadas, da UFPR.
Concebido na UFPR, a partir do Programa de Desenvolvimento Educacional da Secretaria de Estado da Educação do Paraná e construído de forma colaborativa por autores de todo o Brasil, a obra apresenta reflexões sobre o processo ensino-aprendizagem e as inquietações da gestão escolar diante da incorporação e uso das novas tecnologias na educação, da Educação Infantil ao Ensino Superior.
Pelo portal, vocês podem obter mais informações e acessar áreas interativas sobre a obra
ou para os twiteiros,          
São os organizadores, Marcus Garcia de Almeida e a Profª. Maria do Carmo Duarte Freitas / UFPR, do DECIGI / UFPR


22 de jun de 2011

CASEC 2011 Organiza ida dos acadêmicos para o II ENASEC


A diretoria do Centro Acadêmico de Secretariado (CASEC 2011) está organizando a viagem dos acadêmicos de secretariado da Unioeste, para participar do II ENASEC - Encontro Nacional Acadêmico de Secretariado Executivo, que se realizará em Passo Fundo-RS. Veja a seguir os detalhes sobre a viagem:

2º Enasec: 20 a 22 de outubro de 2011
Tema “A evolução da profissão por meio da pesquisa”
Início: 20/10/2011 às 17h
Encerramento: 22/10/2011 as 11h30
Local do evento: UPF – Universidade de Passo Fundo

Programação:
Saída Toledo: 06h 20/10/2011
Chegada PF: 15h 20/10/2011
Saída PF: 19h 22/10/2011
Chegada Toledo: 3h 23/10/2011

Hospedagem: Germanias Blumen Hotel. Rua Antonio Araújo, 233

Transporte: Sander Transportes
A princípio contamos com apenas um ônibus de 42 lugares, logo, os primeiros a confirmarem garantirão as vagas. E dependendo do número superior a este de interessados contactaremos outro veículo de transporte.

Valores: R$200,00. Incluso: Transporte e Hospedagem.
Parcelas no valor de R$50,00 para: 
1ª: 10/07; 2ª 10/08; 3ª 10/09 e 4ª 10/10.

Inscrições: R$50,00 até 30/06/2011
Cada interessado fará sua inscrição e pagará individualmente. (VALOR NÃO INCLUSO NAS PARCELAS)

Para garantir sua vaga: Trazer o comprovante da inscrição paga até 27/06/2011 para os responsáveis:
Pagamentos e confirmações:
1º Ano – Márcio (1º)
2º Ano – Amanda (2º)
3º e 4º Ano – Josmary (2º)

Transporte: Márcio 1º Ano
Hospedagem: Jefferson e Marcos 2º Ano
Tour e Alimentação: Lucimara (1º) e Fabiola (3º)

Entre em contato com os responsáveis e garanta já sua vaga.

Dúvidas:

Inscrições para o ENASEC:

9 de jun de 2011

Chegando no mercado de trabalho? Veja algumas dicas.

Chegar ao mercado de trabalho, para muitos jovens, é um desafio. Conquistar uma posição de seu interesse então é uma tarefa muito mais árdua. Alguns tem em mente que a graduação, ou mesmo a instituição de ensino da qual estão saindo, lhes proporcionará de imediato bons postos de trabalho. Isso nem sempre é verdade.

Por isso, postamos aqui um texto da Revista Ensino Superior, mostrando uma outra visão da tão esperada chegada ao mercado de trabalho.

Confiram.

--


Um pra trás, dois pra frente
Para alcançar objetivos profissionais, ex-alunos aceitam até ganhar menos no começo de carreira para depois conquistar melhores postos nas empresas

O nome de uma instituição tradicional no currículo pode até ajudar, mas, na prática, as vagas para jovens profissionais ficam nas mãos de quem demonstra mais habilidade para o cargo e, principalmente, de quem possui experiência na área. E o mercado está repleto de exemplos desse tipo.

Foi o conhecimento da área de trabalho, obtido em um emprego anterior, que proporcionou uma vaga de estágio a Karina Souza, 27 anos, graduada em comércio exterior pela Uninove e atual funcionária da multinacional do setor químico Basf. "Estava muito difícil encontrar alguém com experiência. Já tinham feito seleção, dinâmica, e ninguém se enquadrou. Como eu tinha meu currículo cadastrado e esse conhecimento, fui chamada para a entrevista e fiquei com a vaga. Antes, na primeira fase, eu não entrei", lembra.



Karina ingressou na empresa em 2004, antes de se formar, e desde então foi promovida duas vezes em seleções internas. 



A gerente de importação da Basf, Érika Pinheiro, 37 anos, também se formou em comércio exterior pela Uninove, mas em uma das primeiras turmas, no final da década de 1990. Antes de entrar na Basf, já trabalhava na indústria química e direcionou sua carreira para chegar à empresa, investindo em especializações e abrindo mão de um cargo maior no emprego anterior. "Dei um passo atrás para poder dar dois para a frente", diz. Na entrevista de emprego, ela conta que não foi questionada a respeito da instituição em que se formou. "Não houve preconceito algum com o nome no diploma. A entrevista foi sobre questões técnicas e voltada às competências em gestão de pessoas e comunicação", diz.


Assim como a trajetória de Érika na empresa não se deveu apenas à gradua­ção, os processos seletivos sobre os quais ela é responsável também não dão importância ao nome da universidade. "Considero a bagagem do candidato e a capacidade de dar resposta às demandas. Muitos recém-formados trazem apenas a teoria, têm dificuldade de se adaptar ao mundo corporativo", relata.


Há nove anos trabalhando na HP, uma das líderes mundiais em equipamentos de informática, o analista de sistemas Fábio Nunes da Silva, 26 anos, afirma que a política da empresa é não filtrar candidatos de acordo com a origem do diploma. Ele fala com a propriedade de ter entrado na empresa como estagiário na área de RH, passado por seleções internas e de atuar nesse setor até hoje, como analista de cargos e salários. "A empresa está aberta para candidatos de todas as universidades. Alguns gerentes até pensam em preferir alguma instituição, mas nós [do RH] conversamos, mostramos que é preciso dar oportunidades", afirma.

Graduado pela Unip, Fábio conta que desde que ingressou na empresa, ainda no primeiro ano da graduação, nunca foi questionado a respeito de sua formação. Para ele, o fato de cursar análise de sistemas, algo incomum para quem deseja trabalhar com gestão de pessoas, causou mais estranhamento, mas mesmo assim foi de grande utilidade. "No fim, isso foi um ponto positivo, porque nessa área é difícil encontrar quem se dá bem com tecnologia", diz.

É justamente essa capacidade de fazer algo além do que a gradua­ção oferece que chama a atenção dos contratantes. "Muitas vezes falta ao candidato o inglês ou outra habilidade para a vaga, mas hoje em dia é preciso se esforçar sempre, fazer cursos extras, e isso não depende da faculdade", conclui o analista, que continua em busca de melhorar seu currículo e crescer na empresa. (G.J.)

5 de jun de 2011

Como realizar pesquisas na Internet

Estudantes de todas as idades e em qualquer nível de ensino estão constantemente envolvidos em atividades de pesquisa e aprendizado. Para a realização de trabalhos escolares, muitas vezes, esses estudantes utilizam-se de sites de busca e outras fontes virtuais, mas que nem sempre apresentam a qualidade necessária para a realização desses estudos.



Para tanto, é necessário que se conheçam algumas técnicas em específico e que se tenha um cuidado redobrado para não acabar compromentendo a qualidade da pesquisa. 


Abaixo, matéria retirada do site da Gazeta do Povo, na guia Educação, com dicas para quem está iniciando-se no mundo das pesquisas escolares e até mesmo acadêmicas. 

Aproveitem.

--

Para uma pesquisa virtual segura


Imagine uma loja em liquidação em que há muitos produtos a preços baixos e de fácil acesso, mas onde nem tudo é bom e para achar algo de qualidade é preciso vasculhar. É praticamente dessa forma que funciona a oferta de informações na internet. Há milhares de sites, mas nem sempre há garantia de conteúdo seguro. Para os estudantes, que cada vez mais substituem os livros didáticos e enciclopédias pela informação on-line, o que parece uma imensa vantagem pode se transformar em uma cilada e colocar em descrédito o trabalho escolar. A reportagem da Gazeta do Povo conversou com educadores e especialistas para saber quais as dicas para uma pesquisa segura em que é preciso ficar atento para que a aprendizagem não seja comprometida

* * * * *
Pode confiar
Confira algumas sugestões de sites dadas por professores do ensino fundamental e médio:
Fontes: Fábio Busse, professor de inglês do Colégio Dom Bosco, Jackson Milano, professor de física do Colégio Positivo e Ana Julieta Vieira, professora de história do Colégio Imaculada Conceição.
Como funciona a busca?
A estudante do segundo ano do ensino médio Ana Paula Rusycki, 15 anos, sempre conta com a ajuda de sites de busca para fazer pesquisa escolar. Não usa nenhum critério de seleção e vai direto aos primeiros resultados encontrados, porque diz acreditar que são os mais visitados e por isso têm mais credibilidade.
Se ela soubesse, porém, como funciona a busca talvez não confiasse tanto nas primeiras informações que aparecem. Isso porque os sites de busca usam vários critérios que definem uma sequência de instruções, os chamados algoritmos, que fazem com que uns sites fiquem em primeiro e outros em último lugar no resultado. O analista de conteúdo da Agência Susse Guilherme Nagueva explica que no Google, por exemplo, os algoritmos são a quantidade de links em outros sites que apontam para aquela página, as palavras que foram digitadas na busca e que batem com as que estão no título do site, indicações de rede social, ou seja, quantidade de vezes que o site é citado nelas, e a qualidade de conteúdo, se o texto está completo e bem escrito.” O Google tenta levantar os melhores resultados, mas claro que não necessariamente os primeiros são os mais confiáveis e que terão a informação de que o estudante precisa”, diz.
O resultado da busca também depende do computador de onde ela é feita. Cada vez que um usuário o utiliza fica registrado um histórico de sites preferidos. Se, por exemplo, uma pessoa visita bastante sites de compra, quando fizer sua busca, se a palavra digitada estiver presente em alguns sites, eles serão listados. “É por isso que o resultado de uma pesquisa nem sempre será igual para todos”, explica o perito em busca da I-Cherry Alexandre Kavinsky.
De olho no oficial
O primeiro passo para começar uma pesquisa escolar on-line é priorizar sites oficiais. Podem ser de instituições governamentais, educacionais – como universidades e centro de pesquisas – ou empresas renomadas e conhecidas no mercado. Vale também consultar sites de veículos de comunicação, como de jornais, revistas e televisão. Mas cuidado: nesse caso é preciso que o veículo tenha credibilidade e que o nome das fontes consultadas apareçam. “O nome completo da pessoa é garantia de que alguém que entende do assunto passou aquela informação. Melhor ainda se for renomada e conhecida”, explica o pesquisador de educação, arte e cultura no ciberespaço da Universidade de Brasília (UnB) Lúcio França Telles. Se o estudante não conhecer a fonte para identificar seu prestígio, uma sugestão é procurar seu currículo na Plataforma Lattes (lattes.cnpq.br), portal que reúne informações acadêmicas e de pesquisa.
No caso de blogs, o cuidado deve ser redobrado. Como esses sites são essencialmente opinativos, o conteúdo pode ser parcial. A recomendação do pesquisador é que os estudantes usem blogs com moderação para seus trabalhos e, antes de tudo, leiam o perfil do autor, sua formação e seu local de trabalho para ter noção de quem ele é e qual sua linha de pensamento.
Sites de busca
Segundo dados da Companhia de Informação da Web Alexa, que mede tráfego de dados na internet, entre os sites mais acessados do mundo virtual estão o Google e o Yahoo, dois grandes buscadores, que são consultados no mundo inteiro. Para usá-los com eficiência o diretor de Tecnologia Educacional da Editora Aymará, Eduardo Cardoso Júnior, dá duas dicas fundamentais.
A primeira é sempre colocar as palavras-chave entre aspas, pois assim a busca englobará todos os termos juntos, e não separados, o que reduz significativamente a quantidade de sites listados. A segunda é delimitar a data e pesquisar assuntos publicados nos último três meses para garantir que a informação seja recente. No Google, por exemplo, isso pode ser feito usando o modo Busca avançada, que fica ao lado do campo onde se digita a palavra.
Confirmação
Não acredite nas informações da primeira busca. O ideal é checar com pelo menos outras duas fontes. Alguns sites servem apenas como ponto de partida, pois não trazem o conteúdo de forma aprofundada. Um exemplo é o Wikipédia, que traz verbetes postados por uma rede de colaboradores voluntários do mundo inteiro.
Luciana Allan, diretora do Instituto Crescer, que é especializado em aprendizagem digital, conta que embora muitas pessoas possam postar no Wikipédia existe um grupo que coordena e edita as informações, que hoje chegam a 3,5 milhões de artigos em 205 idiomas. “Uma das regras é que o conteúdo precisa conter referências e fontes relevantes. O critério garante credibilidade, mas vale lembrar que não é um conteúdo fechado. O estudante pode até dar uma olhada, mas deve buscar outras fontes para seu trabalho”.
Apresentação dos dados
Ficar atento ao layout do site e como os dados são apresentados ajuda a garantir uma pesquisa segura. “Uma grande quantidade de anúncios pode ser um sinal de alerta, de que o principal interesse é vender e não informar. Mas claro que não é uma regra geral. O UOL, por exemplo, tem bastante anúncio, mas é um site confiável e noticioso”, diz Cardoso. Erros de português também colocam as informações em descrédito. Por isso, quando eles forem abundantes, o indicado é sair do site.

Fonte: Gazeta do Povo.